segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Reunião do MUPA convida



MUPA convida Pais , Responsaveis, Voluntarios e Profissionais para participar de nossa REUNIÃO que será realizada Dia 12 de Fevereiro as 15:OO horas
 Na Parroquia de São Bento na Cidade Nova ao lado do terminal 3, teremos a Palestra da Psicologa Lisiane Thompson Flores que abordara o assunto:

"O Aspecto Emocional do Diagnostico do Autismo na Família"


INFORMAÇOES : 8264-4818 , 9325-7647 e 88025432 




AVISO : TODOS OS ESTUDANTES QUE COMPARECEREM A PALESTRA E PRECISAREM DO COMPROVANTE DE HORAS , FAVOR ENVIA ATÉ DIA 8 DE FEVEREIRO OS NOMES PARA O E-MAIL : mupa_autismo@hotmail.com


Aguardamos a Presença de Todos

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

MUPA continua fazendo Oficinas Pedagogicas.



O MUPA realizou nesta manhã uma Oficina Pedagogica sobre Autismo no Centro Educacional MANAIM  que teve como palestrante Maria do Socorro.
Temos o objetivo de levar o conhecimento do Autismo nas escolas e na Sociedade.
Levando também o conhecimento da Inclusão Social.
Todas as Crianças tem o Direito de Estudar.

Informações para levar o MUPA nas escolas você pode marcar pelo telefone:

82397202/ 82644818




sábado, 21 de janeiro de 2012

Os Benefícios das Atividades Aquáticas


Os Beneficios das Atividades Aquáticas


O certo é que a água está em nosso corpo, na nossa vida e ocupa a maior parte de nosso planeta. Dentre outras inúmeras características do meio líquido, não menos importante seria sua relação com a Educação Física e a Fisioterapia, haja vista a vasta quantidade de atividades que podem ser realizadas em tal ambiente líquido. Para retratar melhor, perceba a existência da hidroginástica, do pólo aquático, da hidroterapia, da natação, entre outros.
As atividades aquáticas vêm evoluindo de maneira satisfatória de acordo com as exigências da sociedade e do próprio ser humano, sendo uma das modalidades esportivas mais praticadas em academias, clubes, haja vista a quantidade de pessoas que adoram se exercitar em meio líquido.
São inúmeros os benefícios das atividades aquáticas, em diferentes faixas-etárias e respeitando melhoria em diversos níveis:
   
No que concerne ao aspecto físico, a possibilidade de realizar movimentos sem causar impacto às articulações e tendões, estimulação de toda a musculatura e manutenção do tônus muscular, efeitos benéficos sobre o sistema respiratório e cardiovascular, recuperação de enfermidades, entre outros.
   
Em relação ao aspecto psicológico, tendência à elevação da auto-estima, alívio dos níveis de stress, maior disposição p/ enfrentar as atividades cotidianas, entre outros.
   
No que tange ao aspecto social, é perceptível como há novas possibilidades de favorecimento das relações interpessoais e conseqüente aumento dos laços de amizade, interesse em compartilhar experiências e ideais, entre outros.
Tanto é verdade o discutido acima, que a orientação dada por diversos médicos, educadores físicos e fisioterapeutas é para que seus clientes optem pelos benefícios das atividades aquáticas como alternativa ao processo de recuperação de determinada enfermidade ou mesmo como forma de precaução aos diversos males.

 É inegável não percebermos a devida importância das atividades aquáticas mesmo para determinados grupos especiais, tais como gestantes, bebês, portadores de necessidades especiais, terceira idade, asmáticos e pessoas que necessitam de reabilitação postural, os quais tendem a sofrer positivamente com os inúmeros benefícios que a prática física em meio líquido pode proporcionar.

No caso dos portadores de necessidades especiais, basta atentar-se para o enorme sucesso da natação paraolímpica que fica mais fácil a compreensão de como as atividades aquáticas podem ser extremamente relevantes para o enredo físico e psicológico de tais indivíduos "especiais". A utilização terapêutica da água consiste na arte de combinar as muitas variáveis p/ produzir um resultado significativo, possibilitando aos indivíduos o prazer da vivência aquática. E os profissionais de Educação Física e Fisioterapia conscientes de seus papéis enquanto educadores, devem sempre acentuar e enaltecer as capacidades e virtudes e, não lamentar as eventuais deficiências e carências do indivíduo.













Os Beneficios das Atividades Aquáticas para Crianças Autistas.



Desde os seus princípios rudimentares, o uso da água como meio de cura e, mais tarde, como procedimento terapêutico cresceu tremendamente. A água é um meio maravilhoso para exercícios e oferece oportunidades estimulantes para os movimentos que não estão dentro dos programas tradicionais de exercícios de solo. Ela é divertida! A maioria das pessoas gosta da água e ela é uma parte integrante da vida. Entrar na água é uma experiência única que fornece a todos uma oportunidade de ampliar física, mental e psicologicamente os conhecimentos e habilidades. Nela o corpo está simultaneamente sob a ação de duas forças – gravidade (ou impulso para baixo) e empuxo (impulso para cima).

A água tem sido aproveitada recreacionalmente pelas crianças há muitos anos, e a população de crianças com necessidades especiais não constitui exceção. De fato, a água é usada tanto para recreação quanto como uma terapia com crianças, com resultados surpreendentes. A atividade aquática é um modo de estimular o desenvolvimento e ampliar a experiência de movimentos das crianças autistas.
Os professores na sua intervenção educacional em meio aquático, não devem esquecer um dos princípios da educação especial: o respeito à individualidade, cuidando sempre para não cometer o erro de comparar uma criança com a outra, pois cada indivíduo tem suas próprias potencialidades e limitações. Os materiais utilizados em meio aquático são variados, ficando a critério da criatividade do professor. Neste sentindo é importante trabalhar com materiais de diversas texturas, formas, tamanhos, cores, possibilitando à criança autista a manipular, experimentar e vivenciar todo esse contexto que a rodeia.
O mais importante que colocar materiais à disposição da criança é oferecer espaço para que ela possa exteriorizar com autenticidade e espontaneidade a sua expressividade motriz, algo que parta da sua busca inicial e exploratória, segundo suas necessidades e interesses do momento.

O meio aquático proporciona experiências e vivências novas e variadas, favorece a percepção sensorial e motricidade, auxiliando no desenvolvimento das capacidades psicomotoras como coordenação, equilíbrio, esquema corporal, lateralidade, orientação espacial e temporal.
Velasco (1997), diz que no momento que o aluno consegue se sentir mais à vontade e seguro no meio líquido poderá prosseguir outros processos de adaptação e integração polissensorial, na realização de padrões motores adaptativos como: imersão, flutuação, sustentação e propulsão.
Atividades aquáticas servem também como um processo de aprendizagem de socialização, daí a necessidade do portador de deficiência aprender a galgar degrau a degrau. Pois eles iniciam relacionando-se indivíduo-objeto, depois pessoa-pessoa e, por último interagindo com o grupo. As atividades aquáticas devem propiciar ao individuo situações de desenvolvimento de atividades em pequenos e grandes grupos, estimulando assim as experiências corporais, a integração e o convívio social
Ensinar a criança com autismo que ela tem liberdade dentro de certos limites é uma das propostas que envolvem a aplicação da psicomotricidade, proposta esta que vem atuar de maneira a ajudar no seu desenvolvimento social, físico afetivo e mental da criança, fazendo que ela identifique seu meio e perceba isso de maneira lúdica. A orientação metodológica no meio aquático deve estar fundamentada na internalização ou atenção interiorizada: está levará a criança à execução de tarefas de movimentos e vivências lúdicas significativas e autocontroladas que propiciam a diminuição de sua impulsividade.
Para um desenvolvimento satisfatório de um programa de atividades lúdicas em meio aquático, faz-se fundamental a influência sócia afetiva e emocional dos participantes. O ambiente possui características particulares que facilitam a interação do individuo com os demais membros do grupo, visto que na proposta das atividades haja um alto nível de proximidade entre eles.
A orientação metodológica no meio aquático deve estar fundamentada na internalização ou atenção interiorizada: esta levará a criança à execução de tarefas, movimentos e vivências lúdicas significativas e autocontroladas que propiciam a diminuição de sua impulsividade. Diante disso é possivel observar que os beneficios que o meio aquático traz para a criança com autismo é a melhora do sono e da afetividade nas relações, aceitação de limites e diminuição da ansiedade.
O professor que trabalha com crianças com TEA em meio aquático deve optar por um método predominantemente lúdico, mais um lúdico direcionado, com referências, utilizando todos os recursos possíveis (materiais). Deve desenvolver um trabalho com responsabilidade e coerência, lembrando que cada autista é único, proporcionando um ambiente prazeroso e harmonioso para que os mesmos sintam-se seguros e confortáveis, assim auxiliando no seu desenvolvimento motor. Lembrando sempre que a criança com autismo não vive em um mundo diferente, ela está aqui! A informação é o melhor caminho para encontrá-la.


Agradecemos a  nossa Profissional de Educação Física Carla Mota e toda sua dedicação com nossos filhos do Grupo MUPA.



Informações de nossas atividades entre em contato e agende sua hora pelo telefone:8264-4818 e 9325-7647  Priscila.


domingo, 15 de janeiro de 2012

Reunião dia 15-01-2012



Retorno de nossas Reuniões.

 



Estaremos retornando com as reuniões dia 15 (Domingo) de Janeiro de 2012 ás 15:00h na Paróquia de São Bento rua Beija Flor Cidade Nova 1 proximo ao terminal 03 com o tema :   
Contribuição da Psicomotricidade na Interação Social e da Aprendizagem do Aluno Autista".
Com a Palestrante : Ana Paula Oliveira Psicomotricista e Psicopedagoga.
Aguardamos a presença de todos.
Informações : 8264-4818 e 9325-7647 falar com Priscila

sábado, 14 de janeiro de 2012

O que é o Autismo?

Autismo é uma desordem na qual uma criança jovem não pode desenvolver relações sociais normais, se comporta de modo compulsivo e ritualista, e geralmente não desenvolve inteligência normal. O autismo é uma patologia diferente do retardo mental ou da lesão cerebral, embora algumas crianças com autismo também tenham essas doenças. Sinais de autismo normalmente aparecem no primeiro ano de vida e sempre antes dos três anos de idade. A desordem é duas a quatro vezes mais comum em meninos do que em meninas.

video

Um Pouco Mais Sobre o Autismo

  Uma criança autista prefere estar só, não forma relações pessoais íntimas, não abraça, evita contato de olho, resiste às mudanças, é excessivamente presa a objetos familiares e repete continuamente certos atos e rituais. A criança pode começar a falar depois de outras crianças da mesma idade, pode usar o idioma de um modo estranho, ou pode não conseguir - por não poder ou não querer - falar nada. Quando falamos com a criança, ela freqüentemente tem dificuldade em entender o que foi dito. Ela pode repetir as palavras que são ditas a ela (ecolalia) e inverter o uso normal de pronomes, principalmente usando o tu em vez de eu ou mim ao se referir a si própria.
  Sintomas de autismo em uma criança levam o médico ao diagnóstico, que é feito através da observação. Embora nenhum teste específico para autismo esteja disponível, o médico pode executar certos testes para procurar outras causas de desordem cerebral.
  A maioria das crianças autistas tem desempenho intelectual desigual, assim, testar a inteligência não é uma tarefa simples. Pode ser necessário repetir os testes várias vezes. Crianças autistas normalmente se saem melhor nos itens de desempenho (habilidades motoras e espaciais) do que nos itens verbais durante testes padrão de Q.I. Acredita-se que aproximadamente 70 por cento das crianças com autismo têm algum grau de retardamento mental (Q.I. menor do que 70).
  Entre 20 e 40 por cento das crianças autistas, especialmente aquelas com um Q.I. abaixo de 50, começam a ter convulsões antes da adolescência.
  Algumas crianças autistas apresentam aumento dos ventrículos cerebrais que podem ser vistos na tomografia cerebral computadorizada. Em adultos com autismo, as imagens da ressonância magnética podem mostrar anormalidades cerebrais adicionais.
  Uma variante do autismo, às vezes chamada de desordem desenvolvimental pervasiva de início na infância ou autismo atípico, pode ter início mais tardio, até os 12 anos de idade. Assim como a criança com autismo de início precoce, a criança com autismo atípico não desenvolve relacionamentos sociais normais e freqüentemente apresenta maneirismos bizarros e padrões anormais de fala. Essas crianças também podem ter síndrome de Tourette, doença obsessivo-compulsiva ou hiperatividade.
  Assim, pode ser muito difícil para o médico diferenciar entre essas condições
        LISTA DE CHECAGEM DO AUTISMO 
  A lista serve como orientação para o diagnóstico. Como regra os indivíduos com autismo apresentam pelo menos 50% das características relacionadas. Os sintomas podem variar de intensidade ou com a idade.
 
Dificuldade em juntar-se com outras pessoas,
Insistência com gestos idênticos, resistência a mudar de rotina,
Risos e sorrisos inapropriados,
Não temer os perigos,
Pouco contato visual,
Pequena resposta aos métodos normais de ensino,
Brinquedos muitas vezes interrompidos,
Aparente insensibilidade à dor,
Ecolalia (repetição de palavras ou frases),
Preferência por estar só; conduta reservada,
Pode não querer abraços de carinho ou pode aconchegar-se carinhosamente,
Faz girar os objetos,
Hiper ou hipo atividade física,
Aparenta angústia sem razão aparente,
Não responde às ordens verbais; atua como se fosse surdo,
Apego inapropriado a objetos,
Habilidades motoras e atividades motoras finas desiguais, e
Dificuldade em expressar suas necessidades; emprega gestos ou sinais para os objetos em vez de usar palavras.
Dificuldade em juntar-se com outras pessoas,
Insistência com gestos idênticos, resistência a mudar de rotina,                                                                     Risos e sorrisos inapropriados
Não temer os perigos,
Pouco contato visual
Pequena resposta aos métodos normais de ensino,
Brinquedos muitas vezes interrompidos,
Aparente insensibilidade à dor,
Ecolalia (repetição de palavras ou frases),
Preferência por estar só; conduta reservada,
Pode não querer abraços de carinho ou pode aconchegar-se carinhosamente
Faz girar os objetos,
Hiper ou hipo atividade física
Aparenta angústia sem razão aparente
Não responde às ordens verbais; atua como se fosse surdo,
Apego inapropriado a objetos
Habilidades motoras e atividades motoras finas desiguais
Dificuldade em expressar suas necessidades; emprega gestos ou sinais para os objetos em vez de usar palavras.

Primeiras Avaliações do MUPA




Atividade com os pais e as crianças


Local das terapias


Comemoração natalina


Nossa Atividade Aquática.





Informações:
 9325-7647 e 8264-4818 Priscila
Facebook do MUPA- Mupa Autismo.
E-mail- Mupa_autismo@hotmail.com
Nosso novo blog: mupanoam.blogspot.com





Encontro de Pais e Profissionais do Grupo MUPA



Termo de Fomento